Falando sobre esteroides anabolizantes…

O que é “normalidade”? Há algum tempo atrás colei no facebook uma matéria muito legal sobre os valores de colesterol, a discussão entre 200 e 240 como número limítrofe, e o quanto a indústria farmacêutica ganha com isto. Imaginem o número de medicamentos vendidos simplesmente por causa da mudança do critério. O quanto se lucra, no mundo inteiro, com isto. 

Agora o papo é um pouco diferente, mas ainda envolve “limites” de normalidade. Olhem a imagem abaixo, e vejam a faixa de normalidade:

EAA-emagrecimento1

 

A grande maioria das variáveis estava dentro do que é “normalidade”, com exceção de testosterona, leptina (30% superior), colesterol e triglicerídeos (elevações borderline irrisórias). O que nos assusta, de fato, é: massa corporal (152 kg), IMC (44,4 kg/m², sendo ruim acima de 25 kg/m²) e circunferência da cintura (141 cm, complicado quando maior que 100 cm). Tá certo que havia uma “hipertensão arterial” aí, de 140/90.

Um médico conservador, vendido para a atual indústria farmacêutica, prescreveria, provavelmente:

1. Nutrição adequada

2. Exercício físico / Atividade física 

3. Sinvastatina para a hipercolesterolemia

4. Alodipino ou losartana para a hipertensão arterial

5. Metformina/Insulina (para “prevenir” diabetes) e agir na leptina elevada

5. Se o médico for inteligente e suspeitar de “Síndrome Metabólica”, provavelmente prescreva sibutramina e orlistat, com vistas à diminuição/controle do apetite e da absorção de gordura via alimentação equivocada.

 

Ou seja, para cada “um problema, um remédio”.

Aí, lendo um artigo, a prescrição deste caso acima apresentado foi, simplesmente: “intramuscular testosterone undecanoate 1.000 mg (Nebido, Bayer Schering) [Cada ml contém 250 mg de undecanoato de testosterona] following a standard scheme (injections at 0, 6, 12 weeks and then at 12-week intervals).”. Isso, os médicos prescreveram testosterona sintética para o senhor supracitado.

O que aconteceu com o “rapaz”?

EAA-emagrecimento2

 

 

Em 16 meses, testosterona voltou à normalidade (limite superior), insulina permaneceu dentro da normalidade, estradiol permaneceu dentro da normalidade, HDL e LDL permaneceram dentro da normalidade, glicemia permaneceu dentro da normalidade e PSA (indicador de problema na próstata) permaneceu dentro da normalidade. Quais foram os problemas de tudo isto?

1. O cara perdeu 50 kg e diminuiu 45 cm de cintura.
2. A indústria farmacêutica, que iria lucrar com a venda de, pelo menos, 4 medicamentos, teve de se contentar com apenas um. Claro que este um, o Nebido, é meio caro (R$350-400), mas vamos às contas dos demais:

1. Losartana: R$28,03 ou Alodipino: R$ 93,81
2. Sinvastatina: R$38,78
3. Sibutramina: R$62,62
4. Orlistat: R$ 290,00
5. Metformina: R$13,33
_______________________________
Total puxado pra cima: R$ 496,00

 

Ah! E vale lembrar que estes 5 medicamentos acima não aumentariam a massa muscular, disposição, libido, fadiga, depressão…

 

Com a palavra, o bolso dos “pacientes”.

Tishova Y; Kalinchenko SY. Breaking the vicious circle of obesity: the metabolic syndrome and low testosterone by administration of testosterone to a young man with morbid obesity. Arq Bras Endocrinol Metab. 2009;53/8.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s