2012 – Comitê olímpico, que recebe aporte recorde de verba pública, projeta 15 pódios nos Jogos de Londres

COB prevê repetir medalhas de 2008
16’Jun’2011 – Divulg. JUDOBRASIL

2012 – Comitê olímpico, que recebe aporte recorde de verba pública, projeta 15 pódios nos Jogos de Londres

Um ano antes dos Jogos de Londres, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) prevê que o Brasil irá repetir na capital inglesa o desempenho de Pequim, três anos atrás, quando ganhou 15 medalhas e terminou na 23ª posição.

Apesar de o COB já ter definido uma meta ambiciosa para a Rio-16, o superintendente executivo de esportes Marcus Vinícius Freire crê que em Londres-12 terá resultado parecido ao de 2008 em relação a medalhas e finais.

“Não vai ter muita mexida”, disse ele, que chefiou a delegação nacional nas três últimas edições olímpicas.

O resultado na China havia igualado o de Atlanta- -1996. Em Pequim, o Brasil conquistou três ouros, quatro pratas e oito bronzes.

O esporte olímpico brasileiro sobrevive basicamente com dinheiro público. E nunca recebeu tanto investimento quanto neste ciclo.

Criada há dez anos, a Lei Piva é uma das principais fontes de renda das confederações e do COB. Já rendeu quase R$ 1 bilhão só para as modalidades olímpicas.

Em 2010, o COB recebeu R$ 143,5 milhões, contra R$ 119,8 milhões em 2009 -um aumento de 20%.

Diversas estatais também investem nas confederações, via patrocínio direto ou lei de incentivo fiscal, que prevê repasse de parte do Imposto de Renda devido pelas empresas. A Olimpíada de Londres–12 será a primeira sob a lei.

Só a Petrobras gastará cerca de R$ 265 milhões em esporte até 2014, via lei de incentivo, visando a Rio-16. Os atletas também têm apoio do governo federal em programas como o Bolsa Atleta.

Se é comedido para 2012, o COB prevê colocar o país entre os dez primeiros em 2016 -contanto o total de pódios, não o de ouros conquistados.

Para atingir a meta, Freire crê que o país deverá aumentar de oito para pelo menos 13 o número de modalidades que alcançam o pódio. “Nossa luta será no esporte individual. Os dez melhores países têm bons resultados em esportes que distribuem muitas medalhas. Vamos ter que crescer ali também”, disse.

Sérgio Rangel
Folha de São Paulo

Ministro diz que promessa era top 10 em 2012

O ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., ficou surpreso ao ser informado pela Folha de que a previsão do COB para os Jogos de Londres-2012 é o Brasil permanecer no mesmo patamar de Pequim-2008, onde o país obteve 15 medalhas e ficou em 23º.

“Desconheço essa informação”, disse o ministro.

Segundo ele, em uma reunião que teve com Carlos Arthur Nuzman, o presidente do comitê prometera meta bem ousada.

“A informação que eu tenho é que o Nuzman projetou que o Brasil vai estar entre os dez melhores [no quadro de medalhas]”, afirmou o ministro.

“É impossível ficar entre os dez melhores com 15 medalhas. A menos que dez delas sejam de ouro.”

Eduardo Ohata
Folha de São Paulo
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s