Imitando a atividade física (o treino) do início da civilização – Organic Fitness

Já fiz uns posts atrás sobre o assunto, e ele continua aumentando… Agora saiu no Portal da EF:

http://www.educacaofisica.com.br/noticias/imitando-o-treino-do-inicio-da-civilizacao

14/06/2011 – Atividade Física – 218 visitas

Imitando o treino do inicio da civilização
Conceito de “movimento natural” chama a atenção de pessoas ativas.

Algumas vezes por semana Ret Taylor pode ser visto pendurado de cabeça para baixo de um galho de árvore a cerca de 20 metros no ar no Central Park de Nova York.
“Um monte de velhinhas para por causa disso”, diz ele.

Com 32 anos Ret não está relembrando as suas habilidades no trepa-trepa da época da escola. Ele está tentando imitar a forma como nossos ancestrais poderiam ter se exercitado antes do advento das academias de alta tecnologia e estúdios de yoga.

Taylor foi inspirado por um programa chamado MovNat, abreviação de “mover-se naturalmente“, fundado pelo francês Erwan Le Corre em 2008. A idéia é simples: a natureza se transforma na sua academia. Saia à luz do sol e corra ao ar livre, pedras se tornam halteres e galhos de árvores fazem as vezes das barras, comuns às academias.

Antes de aderir ao “movimento natural”, o empresário do ramo de hotelaria, registrava cerca de 70 quilômetros por semana de treinamento para maratonas e ultramaratonas. Depois de quase sete anos de treinamento para maratona Taylor havia desenvolvido uma fascine plantar, além de dores no pé e no calcanhar.

Em dezembro, depois de um jogo de basquete com os amigos aconteceu o seu “despertar”. “Eu tinha bolhas terríveis, e minhas pernas estavam me matando”, diz ele. Apesar de sua privilegiada condição cardiovascular, ele percebeu que os treinos de longa distância estavam apenas trabalhando alguns músculos. “Se eu quisesse ser um atleta bem preparado, eu tinha que se concentrar mais no resto do meu corpo”, pensou.

Ele havia lido um artigo numa revista sobre MovNat algumas semanas antes e resolveu dar uma chance.

Ret não perdeu um fim de semana de treinos MovNat desde então. Cerca de um mês atrás, formou um grupo chamado Movimento Natural de Nova York. Agora, cerca de 20 pessoas se reúnem nos fins de semana para correr, saltar e subir pelo Central Park.

Ele diz que as “dores de corredor” desapareceram desde que começou a praticar a atividade seguindo os preceitos do movimento natural que resultou também no encurtamento na quilometragem total.

O Treino

O treinamento é realizado sete dias por semana e aos sábados com o grupo no Central Park. O grupo corre um pouco acima de 5 quilômetros, fazendo paradas para realizar flexões ou abdominais, muitas vezes utilizando objetos no parque como equipamentos de ginástica. “A cada três minutos mudamos a atividade”, diz ele, acrescentando que cada pessoa trabalha em seu próprio ritmo. “Eu poderia fazer 12 flexões, e alguém pode fazer 20, e alguém pode fazer até mesmo quatro.”

Nos outros seis dias da semana ele treina por conta própria. Correr descalço sobre a grama, séries de polichinelos, chutes altos, pular corda e flexões são comuns.

A Dieta

A alimentação agora é bastante saudável, mas ele foi gradualmente adotando a “Paleodieta”, que é toda baseada em alimentos disponíveis para os primeiros humanos. Centra-se em proteínas, legumes e frutas. “A idéia é pensar sobre o que as pessoas tinham antes da agricultura”, diz Taylor. “Então, eu fico longe do açúcar, sal, leite e tudo o que você não podia caçar ou colher.”

Equipamentos

Ao invés de treinar com os pés descalços o “atleta” usa tênis simples, com uma sola baixa, que de forma minimalista, sustenta o arco do pé. Há três anos atrás ele adquiriu os calçados “Vibram FiveFingers”, depois de ler o livro, “Born to Run”, sobre os Tarahumara, um povo indígena no México, famoso por correr descalço longas distâncias. Isso facilitou seu caminho para o calçado minimalista, começando com treinos curtos em grama ou saibro. “Eu podia sentir os meus pés ficando mais forte.” Ele diz que muitas vezes acaba por atrair olhares curiosos no parque.

Dica Fitness

“É tudo sobre improvisação e não sabendo o que está ao virar da esquina. Você pode trabalhar em qualquer coisa que, seja um banco ou uma calçada ou uma escada”

Por Jen Murphy
Do “Wall Street Journal
Adaptação Robson Alves Maciel

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Fico pensando em como realizar estas coisas, ao ar livre, no nosso Brasil Anil 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s