“The biggest loser is the biggest gainer” – Pagamento em dinheiro para quem perde peso pode ser vantajoso…

Enfim, mais uma evidência de que não somos muito loucos.

Há algum tempo postei um lloonngggoooo post sobre emagrecimento:

https://fabricioboscolo.wordpress.com/2011/04/27/exercicio-fisico-e-gasto-calorico-apos-a-atividade-questoes-sobre-a-intensidade-do-esforco/

No fim dele, eu coloquei meu ponto de vista, simples: Perdeu peso, ganhou dinheiro:

Não é que a ideia é tão boa que já até foi implementada? =] Deu na Folha de São Paulo e foi postado no Blog da Educação Física:

Pagar pessoas para perder peso funciona, indica estudo
Quem aderiu perdeu cerca de 4 kg em um ano e receberam cerca de 180 libras.
Média de perda de peso é superior de programas como “Vigilantes do Peso”.

Um estudo britânico de 400 pessoas, batizado de “libras por quilos”, descobriu que quase metade dos analisados perdeu mais de 5% do seu peso corporal. O artigo foi publicado no “Journal of Public Health”.

Em média, os indivíduos –muitos deles trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde (NHS, sigla em inglês)– perderam cerca de 4 kg em um ano e receberam cerca de 180 libras.

A informação foi publicada no site do jornal britânico “The Telegraph” nesta sexta-feira.

Segundo os pesquisadores, os resultados mostram que o esquema funciona tanto quando programas de perda de peso existentes e poderia ser estendido para todo o país.

Para Clare Relton, da Universidade de Sheffield, “o recrutamento para este programa de incentivo financeiro sugere que a perda de peso pode ser aceitável pelo público em geral e pelos funcionários do NHS, além de homens e mulheres”.

O presidente do National Obesity Forum, David Haslam, disse que, anteriormente, estava cético em relação à pesquisa, no caso dos pacientes pararem de perder peso se deixassem de ser pagos.

Mas em declaração à revista “Pulse”, disse: “Quatro quilos em um ano é um número muito bom. Se estamos interessados nos ganhos para a saúde, este é o negócio”.

A incitava “libras por quilos” recrutou 402 pessoas, 42,5% das quais eram funcionárias do NHS. A média de idade era de 45,1 anos; a média inicial de peso, 101,8 kg; e mais da metade era do sexo feminino.

Os participantes foram submetidos a planos de perda de peso de diversas durações e pesados novamente no fim de cada um.

No total, 44,8% tiveram perda de peso “clinicamente significativa” de mais de 5% do seu peso corporal; 23,6% perderam mais de 10%.

Apenas 38% dos participantes terminaram seus planos, número abaixo do de esquemas existentes, como o Vigilantes do Peso.

Mas a perda de peso média de 5 kg em 12 meses, incluindo aqueles que desistiram, foi maior do que a média do Vigilantes do Peso –4,02 kg.

Mesmo admitindo que aqueles que desistiram retornaram ao seu peso original, os dados sugerem que a perda de peso média geral para todos aqueles que participaram foi de 4 kg.

A incitava teve custo total de 75 mil libras e uma média de 186,57 libras por paciente.

Abaixo, o print da cara do título e o abstract:

Clare Relton, Mark Strong, and Jessica Li. The ‘Pounds for Pounds’ weight loss financial incentive scheme: an evaluation of a pilot in NHS Eastern and Coastal Kent. J Public Health (2011) / doi: 10.1093/pubmed/fdr030 / First published online: March 29, 2011.

Background: Financial incentive programmes have the potential to modify health-related behaviours, including those associated with achieving weight loss. This study evaluated a pilot NHS commissioned financial incentive weight loss programme, based on the commercial Weight Wins ‘Pounds for Pounds’ programme.

Methods: Participants chose a weight loss plan based on their target weight. Plans ranged from 15 lb (6.8 kg) weight loss over 3 months to 50 lb (22.7 kg) weight loss over 7 months, with optional additional ‘maintenance’ periods. Rewards, which were received after successful plan completion, ranged from £70 to £425 per year.

Results: Mean baseline weight for the 402 participants was 101.8 kg (SD 46.1 kg), with 77.4% having a BMI ≥30 kg/m2. Clinically significant weight loss (≥5%) occurred in 44.8% [95% confidence interval (CI): 40.0–49.7%] of participants. Estimated mean weight loss at 12 months was 4.0 kg (95% CI: 2.4–5.6 kg) under the assumption of return-to-baseline weight for those who had left the programme before reporting a 12 month weight.

Conclusions: The estimated mean 12 month weight loss of 4.0 kg at 12 months is comparable to other evaluations of other non-medical weight loss interventions. A randomized controlled trial is required to evaluate the clinical and cost-effectiveness of this financial incentive scheme.

Apesar de eu ainda achar que é pouco peso, pelo menos é mais vantajoso do que outro estudo bobo, com exercícios aeróbios:

Friedenreich CM et al. Adiposity changes after a 1-year aerobic exercise intervention among postmenopausal women: a randomized controlled trial.

International Journal of Obesity (2011) 35, 427–435

Objective: We examined the effects of an aerobic exercise intervention on adiposity outcomes that may be involved in the association between physical activity and breast cancer risk.

Design: This study was a two-centre, two-armed, randomized controlled trial. The 1-year-long exercise intervention included 45 min of moderate-to-vigorous aerobic exercise five times per week, with at least three of the sessions being facility based. The control group was asked not to change their activity and both groups were asked not to change their diet.

Subjects: A total of 320 postmenopausal, sedentary, normal weight-to-obese women aged 50–74 years who were cancer-free, nondiabetic and nonhormone replacement therapy users were included in this study.

Measurements: Anthropometric measurements of height, weight and waist and hip circumferences; dual energy X-ray absorptiometry measurements of total body fat; and computerized tomography measurements of abdominal adiposity were carried out.

Results: Women in the exercise group exercised a mean of 3.6 days (s.d.=1.3) per week and 178.5 min (s.d.=76.1) per week. Changes in all measures of adiposity favored exercisers relative to controls (P<0.001). The mean difference between groups was: -1.8 kg for body weight; -2.0 kg for total body fat; -14.9cm2 for intra-abdominal fat area; and -24.1cm2 for subcutaneous abdominal fat area. A linear trend of greater body fat loss with increasing volume of exercise was also observed.

Conclusion: A 1-year aerobic exercise program consistent with current public health guidelines resulted in reduced adiposity levels in previously sedentary postmenopausal women at higher risk of breast cancer.

International Journal of Obesity (2011) 35, 427–435; doi:10.1038/ijo.2010.147; published online 7 September 2010

Pelo menos, no outro estudo, as pessoas ganharam um troco (186 libras dá aproximadamente 490 reais) ao final de 12 meses.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s